Seja um buscador

SEJA UM BUSCADOR

Seja um buscador.

Pare e reflita um pouco. A empresa que você trabalha é o caminho que você deseja ou há, em sua visão, grandes objetivos no futuro a serem alcançados por você? Cuidado.

O caminho de sua carreira e da vida deve ser alcançado por causa dele mesmo e não como algo idealizado em sua mente. Seja um buscador.

Busque a sua jornada, o seu caminho. O caminho não é conhecido. Ninguém pode te ensinar o caminho: ele não pode te ser dado. O caminho não pode ser mostrado, não pode ser transmitido. Você precisa viver passo a passo. Um professor não pode passar os ensinamentos aos seus alunos.

Um pai empreendedor não passa o caminho para seus filhos que começaram a empreender. Eles precisam praticar e descobrir por eles mesmos.

Quando você se identifica com alguém, você se transforma nessa pessoa. E se abandona. É como ter o nariz pressionado em uma tela de televisão. Você perde o foco.

Muito se fala em buscar a meta, focar na meta, atingir a meta. Ou que depois da meta o caminho já está determinado. Cuidado. Há tantos caminhos…e todos levam à mesma meta. A questão é encontrar a meta certa, ela é que precisa ser alcançada, não o caminho. Existem muitos caminhos. O caminho cada um terá o seu. E por si só já está à mão.

Porém nem mesmo isso que eu digo é verdade, pois meta e caminho não são duas coisas distintas. A meta é o caminho e o caminho é a meta. O início é também o final e o último passo é também o primeiro passo. À medida que você dá o primeiro passo, você começa a sentir se está na direção certa, e então, ele transforma-se na meta.

O mais importante é não pensar sobre a meta primeiro. O pensamento inicial dever ser não pensar. E sim sentir o caminho. Descubra o seu caminho sentindo seu coração: Seja um buscador.

Porém, estamos tão condicionados que pensamos ter recebido um caminho de nascença. Ou que meta é colocar um número na frente e ir alcançar. Uma pessoa é cristã, outra, evangélica, outra, hindu. Elas acreditam que o caminho de suas vidas lhe foi dado pela sociedade, pela herança cultural, pelos ancestrais, pela educação. Não é verdade. O caminho não pode ser dado por ninguém.

Você pode comer um doce e amar. Isso não garante que seu filho goste do mesmo doce. Ele terá que trilhar o seu próprio caminho, provar o doce, e então sentir se deseja seguir. E se ele provar o doce porque você disse que o doce é bom, talvez ele nunca venha a provar outros doces porque seguiu um caminho que era seu. Ninguém pode lhe dar o caminho, você precisará vivê-lo e através da vivência você será transformado.

Um caminho emprestado é um caminho perigoso, nocivo. Pessoas que optam pelo caminho fácil de “modelar” outras pessoas de sucesso, distanciam-se de sua essência. Através do caminho emprestado você poderá alcançar resultados financeiros, mas eles não o levarão a lugar algum. Poderá acreditar nele, pensar que gosta, e até adiar a sua jornada na vida por conta dele. Mas quando inicia todo dia, sente que falta algo em algum lugar, lá no fundo.

Você precisa buscar o seu próprio caminho. Seja um buscador.

Eu não estou dizendo que é fácil, é difícil. Você poderá errar muito, mas nada se obtém sem erros. Você precisa ser muito corajoso para se permitir errar. Você poderá trilhar caminhos errados, mas até mesmo os caminhos errados são melhores que permanecer parado, pois você aprenderá o caminho errado e não passará mais ali. Desse modo, você descobrirá o caminho certo para você, e você é único. Ninguém pode lhe dar o caminho.

Dessa forma, não tenha medo de errar e de percorrer caminhos errados. Aqueles que deixam de percorrer caminhos por medo de errar ficam paralisados, jamais se movem e vem a vida passar. Sem se dar conta, abrem mão do sucesso por medo do fracasso.

Seja corajoso, busque o seu caminho. Jamais imite o caminho de alguém. A imitação poderá lhe dar “sucesso”, mas não levará à liberdade. Não se trata de seguir um caminho ou outro; trata-se de buscar. Seja um buscador e não um seguidor.

Um buscador evolui. Um seguidor repete e paralisa. Conheça a diferença. Um seguidor é um imitador. Um buscador também segue, mas segue a fim de buscar, de descobrir, e de se descobrir. Ele permanece acordado, atento, consciente e em evolução.

Um seguidor torna-se cego, dependente, o que acontece em muitas comunidades, centros de “treinamentos”, e outras formas de vida coletiva onde existe uma valorização inicial de sua individualidade que, aos poucos vai dando lugar ao peso do coletivo e à desvalorização do indivíduo. O coletivo predomina sobre o indivíduo. Há um sistema de “liberdade” aparente, mas que você precisa trabalhar para eles, criar para eles, seguir seus rituais, e geralmente quando alguém deseja sair de lá é descartado como lixo. Uma autocracia disfarçada que anula o seu espírito. Um seguidor cedo torna-se dependente – espiritualmente, um escravo. Joga a responsabilidade nos ombros de seu líder ou outro e ali fica pendurado. Um buscador é responsável por si mesmo. Está consciente e é autorresponsável, descobre algo novo a cada dia, experimentando algo novo a cada dia.

Ele é destemido, vulnerável, aberto às novas possibilidades, à luz, pronto a se mover em direção àquilo que lhe move, à sua visão. Se sente que o caminho que se move está errado, não dirá: “ah, mas eu me formei, investi, tenho essa profissão há anos, agora não posso mudar.” Ele mudará. Deixará tudo o que investiu e começará do zero a aprender de novo.

Um buscador é leve, flexível, tem o olhar empático e acolhedor, está sempre pronto a tentar mudar.

Um seguidor é teimoso, reativo, resistente, inflexível, um sugador disfarçado de inteligente.

Um executivo me procurou, recebe altos salários frutos de muito investimento em sua carreira, está angustiado, com sobrepeso, ausente em casa e da família, deu-se conta que os anos passaram e que não participou da infância dos filhos e está estressado. Decidiu mudar depois de muitos anos. Legítimo caso de um seguidor que precisou pagar um preço muito alto e que agora decidiu encontrar o seu próprio caminho. Abandonou tudo o que percebeu que não lhe serve mais. Tornou-se um buscador. No caso dele deu tempo de acordar com saúde, que bom! Muitos, vivem dormindo até o final.

Seja um buscador, não um seguidor.

Renato Morais é Coach Ontológico e Terapeuta.

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *