DE EMPREENDEDOR PARA EMPREENDEDOR

Como a inteligência emocional pode ajudar você empreendedor? Pára e pensa! Cabe a nós observarmos como estamos dando continuidade à nossa constituição como seres humanos e como utilizamos a inteligência emocional a nosso favor.

Frequentemente em trabalhos de imersão ouço dos participantes o seguinte: “Renato, eu estou iniciando minha carreira, e me sinto sobrecarregado e com pouca coragem para dar o passo de empreender.”

Ou, “Eu tenho duas empresas, conquistei minha independência financeira, mas não consigo delegar e ainda trabalho demais, estou exausto e não vi meus filhos crescerem.”

Depoimentos com estes acima, nos dão fortes sinais de onde a Inteligência Emocional pode ajudar você, empreendedor.

Observo com frequência pessoas com dificuldade em se conectar significado pessoal de suas metas, o seu propósito maior. Vejo pessoas investindo seus recursos em negócios sem avaliar os riscos. Outras estão em apuros por fazerem sempre a mesma coisa.

Existe uma questão emocional por trás desses comportamentos.

E se isso for uma escolha? Você pode estar pensando. Se for uma escolha, estaria tudo certo, cada um é responsável por seu negócio. O problema é que, muitas vezes, as pessoas não sabem o porquê estão nessas situações e com resultados ruins.

Cresceram buscando evoluir os seus negócios e não aprenderam a descobrir o significado de um propósito. É preciso o empreendedor saber que, no final das contas, o mundo dos negócios é gerido pelas emoções.

Depois de trilhar esse caminho do autoconhecimento, eu também passei a obter resultados significativos, minhas palestras ficaram mais leves e divertidas. Meus trabalhos com grupos nas organizações e os processos individuais com coachees ficaram mais sutis, leves, profundos e eficazes.

Foco na luz total!!

Fomos moldados com algumas crenças emocionais limitantes, por exemplo: “expressar raiva é ruim, sentir medo é para os fracos, homem não chora, manifestar amor é coisa de mulher”, entre outras tantas crenças.

Reconectar-se com o corpo e com as emoções permite descobrir e ressignificar crenças limitadoras. A energia voltará a fluir, você (re)encontrará com a criança livre que existe dentro de você.

Reintegrar à vida adulta as qualidades da infância, a liberdade e inocência, tornará a alegria e a criatividade possíveis.

“Quem olha para fora, sonha.Quem olha para dentro, desperta.” Carl Jung,

Costumo dizer que, ou você “entra em suas emoções” – e essa é uma longa caminhada – e vai ficando a cada dia mais livre, ou você ficará refém de suas emoções. E elas emergirão em forma de irritações, destruição de relacionamentos, perda nos negócios, problemas de saúde que vão desde simples dores de cabeça à doenças sem cura.

Pensa comigo, vou te mostrar uma estatística antes para dar peso no que vou falar. Estou há doze anos trabalhando com desenvolvimento de lideranças, tenho doze mil horas de facilitação e desenvolvimento de empreendedores, atendo CEOs, pessoas comuns, empreendedores novatos e muito experientes.

E pra falar a verdade, não estou nem aí pra estatística, mas me importo com os numerosos e significativos resultados que observo dia a dia.

Eu percebo que o sucesso empreendedor está diretamente relacionado à capacidade de nos relacionarmos com suas emoções.

Por não saberem acessar emoções pessoas tem dificuldades em lidar com frustrações, tensão, controlar impulsos, ouvir, negociar, resolver conflitos, receber críticas, lidar com as emoções do outro, se relacionar com diálogo. Em outras palavras, agir com inteligência emocional.

A resposta para essas questões está origem do comportamento que se repete. E a origem está no passado. É preciso investigar através de um trabalho estruturado de onde veio isso tudo que você carrega.

Em outras palavras, os comportamentos que você aprendeu com alguém e que hoje são repetidos por você.

“A solução de um problema não se dá na mesma forma que ele foi criado.” Albert Einsten

Nós como seres humanos somos constituídos por nossas relações com as pessoas que tiveram contato conosco e com o universo. Cabe a você observar agora o como está dando continuidade à sua constituição como ser humano. Com quem se relaciona e o como isso impacta na sua forma de se comunicar, empreender e gerar resultados.

Proponho um rápido exercício para descobrir se você, como empreendedor, faz uso de suas emoções a seu favor:

Responda com sinceridade estas quatro perguntas abaixo. Sugiro você prestar atenção para as palavras em negrito, pois no significado delas poderá estar “escondida” uma fluidez emocional ou uma dificuldade emocional em executar ações empreendedoras que podem lhe trazer resultados positivos.

  1. Você utiliza em sua vida, metas desafiantes (difíceis de serem conquistadas por você atualmente)?

  2. Você utiliza um planejamento e monitora constantemente sua evolução?

  3. Você delega a maior parte da operação do seu negócio ou ainda coloca a mão na massa?

  4. Você tem sua vida pessoal e profissional equilibrada?

Se estas perguntas foram respondidas com um sim fervoroso você possivelmente acessa e utiliza suas emoções básicas a seu favor (o medo, a tristeza, a raiva e a alegria).

Aprender sobre como você sente ou usa estas emoções lhe dará uma base sólida para se relacionar melhor consigo mesmo e com os outros. Estas emoções podem ser o nosso céu ou o nosso inferno. A opção é de cada um de nós.

Bom agora é a sua vez. Vamos lá: Você acessa suas emoções e utiliza-as a seu favor?

Responde aqui em baixo pra eu saber e poder te escrever de volta!

Vamos juntos, porque é uma batalha diária, não se sinta só!

Renato Morais é Consultor empresarial, Coach Ontológico e Terapeuta

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *